terça-feira, 19 de abril de 2011

Papel de Poesia

imagem: aj cardiais

O que me foge à pele
são palavras
disfarçadas
de suores.

O que me causa dores
são os fedores
dos fingimentos
em putrefação.

Pra quê viver
sem satisfação?
Pra quê fingir
que segue a educação?

Trago palavras de dores
e argüições.
Trago sementes de flores
e rimas em profusões...

Eu trago tudo
embalado,
com o papel
de poesia.

AJ Cardiais

Um comentário:

Doroni Hilgenberg disse...

As vezes viver não é facil, além de nossa alma ser mais vulnerável a gente vê hipocrisias e tristezas por todo o lado. É o reverso da vida que é tão bela de ser vivida. Escrever é uma válvula de escape não é? bjs