domingo, 9 de outubro de 2011

Poemas Como um Rio

imagem: google

Meus poemas são como rios
onde descarto meus desvarios.
Às vezes deixo meu rio poluído,
quando estou ferido
e faço um poema sangrando...
Aí rio vai levando meu sangue.

Deixo meu rio purinho,
quando jogo nele
amor e carinho.
Chega a ficar incolor,
quando falo de amor...

Mas quando fico indignado,
deixo meu rio zangado...
Brigando por uma solução.
Às vezes essa que é a causa
da inundação.


A.J. Cardiais

Nenhum comentário: