terça-feira, 7 de maio de 2019

Monturos


Transbordantemente em versos,
eu faço um apelo:
seguindo com esse desmazelo,
nós vamos acabar com o mundo.

Eu também não me chamo Raimundo,
mas para o Drummond eu apelo,
com esse poema singelo
e um sentimento profundo.

Vou rimando passo a passo
e no compasso:
escorrego num desmatamento...
Vejam o tom violento
com que o fogo destrói 
a vegetação...

Como isso dói...
Ver seres vivos sendo destruídos
pelo fogo.
Nós, que ficamos comovidos,
procuremos alertar os distraídos:

Por baixo desse monte de lixo,
estão nossas vidas.
Ou damos um basta nesta violência,
ou vamos acabar pedindo clemência:

Perdoai-nos, ó Mãe Natureza...
Depois de tanta beleza,
o que deixamos para o futuro
são carros, jóias, mansões... Monturos.

A.J. Cardiais
13.07.2009
imagem: google

Epitáfio

Antes de qualquer coisa, sou poeta...
Antes de qualquer trabalho,
antes de qualquer penduricalho,
sou poeta...

Adapto-me,
acomodo-me,
aquieto-me...
Mas continuo poeta.

O meu olhar, o meu sentir,
o meu viver, é de poeta.
Não quero tocar a lira,
porque outros poetas tocaram.
Não quero ganhar objetos,
porque outros poetas ganharam...

O que eu mais queria ganhar
para me identificar,
eu já ganhei: foi a estrada.
Só espero que ao finda-la,
quando me colocarem na vala,
escrevam na minha lápide:
aqui jaz um poeta.

A.J. Cardiais
09.03.2019
imagem: google

Erudição


Para entender o poema,
é preciso mergulhar no sistema
e nadar em todas as frases
que o sentido enviar...

Deixar de amarrotar o silêncio,
e silenciar todas as dores,
antes do galo cantar...

Para entender o poema,
é preciso surfar nas palavras,
mergulhar em ondas de versos
e afogar-se no mar de letras.

Para entender o poema,
é preciso lê-lo
descalço.

A.J. Cardiais
16.03.2010
imagem: google

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Metáforas











Ninguém aprende metáforas...
Sente-se quando a ideia calha,
e assim se agasalha
no meio do poema.

Quando o poeta se rende,
à linha do horizonte,
é capaz de ver
através de um monte...

E ver o indizível,
pode ser algo incrível.

A.J. Cardiais
08.02.2017
imagem: google

Amor errado















Quando você ama
a pessoa errada,
é como seguir uma estrada
que vai dar na lama...

Se você "se embrenhar",
e fizer tudo por amor,
saiba que só a dor
irá lhe acompanhar.

A.J. Cardiais
25.08.2017
imagem: google

Poesia: arte, dança e luta













A poesia é um sentimento,
que o poeta coleta no vento.
Vem como um perfume
ou como um vaga-lume
fora da noite.

Poesia é o acoite da vida
em determinados momentos.
E o poeta, mesmo como escravo,
transforma em divertimento
esta labuta.

Poesia é como capoeira:
hora é arte,
hora é dança,
hora é luta.

A.J. Cardiais
23.01.2017
imagem: google

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

À minha maneira


Vou vivendo meu sonho,
dentro da minha realidade.
Não vivo o mesmo tanto 
quanto eu sonho, é bem verdade...
Mas é o suficiente para mim.

Eu sou assim, ora essa!
Não tenho pressa,
nem enfrento tempo ruim.
Espero o sol sair,
para eu poder seguir...

O meu tempo está sendo...
Sei que ninguém está vendo.
Mas o que me importa
é minha vida torta,
sem eira nem beira.
Eu sou feliz à minha maneira.

A.J. Cardiais
16.12.2014
imagem: a.j. cardiais

sábado, 27 de outubro de 2018

Por ai, por aqui


Por ai tem uma mulher,
querendo um homem
igual a mim...

Por aqui tem uma mulher
sem saber dar valor,
ao homem que tem.

Por aí deve ter alguém
querendo entender
e também ser entendido...

Por aqui tem alguém perdido,
dentro de um relacionamento
mal resolvido.

Por ai tem mulheres sofrendo,
homens se vangloriando,
amores se despedaçando...

Por aqui tem um homem hétero,
esperando por uma mulher
que está bem ao lado.

A.J. Cardiais
27.10.2018
imagem: google