segunda-feira, 3 de março de 2014

Maré Revolta

















Meus poemas estão por aí,
pelo mundo de meu Deus,
procurando resistir
e exaltando os plebeus.

A rima corre solta
como uma maré revolta.
Isenta de tanta besteira
sai de qualquer maneira.

A rima corre em minha veia.
E o sangue da minha aldeia
tem como base o cordel.

E não tem nenhum “coronel”
que me tire o direito
de escrever do meu jeito.

A.J. Cardiais
imagem: google

Nenhum comentário: